Os principais especialistas da internet brasileira - ativistas, executivos e acadêmicos - apresentam os assuntos mais importantes a partir de textos curtos.

SOBRE O LIVRO

COMPRE O EBOOK

COMPRE O IMPRESSO

Amazon-buy-button.png
botao-baixar-android.png
clubeautores-badge.png
 

A história deste projeto

A primeira edição do Para Entender foi lançada em 2009. Ela aconteceu como um experimento sobre o custo-benefício de se produzir e publicar um livro digital.

 

O Juliano Spyer aproveitou a edição desse ano da Campus Party (http://www.campus-party.com.br) para se encontrar e convidar "geeks" para escreverem sobre suas práticas relacionadas à comunicação mediada por computadores.

Se a edição de um livro impresso no Brasil costuma demorar um ano para sair e ter entre mil e dois mil exemplares, o Para Entender ficou pronto em 45 dias e em uma semana tinha tido em torno de 5 mil downloads.

 

A primeira versão do projeto foi feita "na unha" usando programas como Word e Power Point. Em 2010 o André Avorio entrou no barco para ajudar a conceber e realizar a ideia de que o Para Entender fosse mais automatizado. No site que ele construíu (e não está mais ativo), o novo autor não precisava nos conhecer para enviar sua colaboração.

 

Ele ou ela faziam isso e, depois de aprovado, continuava atualizando o conteúdo pelo site. O projeto funcionou entre 2014 e 2020.

 

Conceito deste livro

Muita gente tem se perguntado se o livro enquanto meio de comunicação vai acabar. Mas talvez seja mais interessante descobrir em que ele está se transformando.

 

Será que as pessoas comuns como as que hoje mantém a maior e mais completa enciclopédia pública da História - a Wikipédia - podem também ajudar a fazer livros? Essa é a ideia por trás deste projeto: oferecer um livro produzido coletivamente, que se mantém atual com o tempo e que, sendo grátis, é distribuído espontaneamente pelos próprios leitores.

 

Em vez de ter em mente o "velho livro" de papel...

  • Pense em um software que está sempre sendo aprimorado e atualizado.

  • Pense na Wikipédia: muitos colaboram para que o site ganhe relevância. Mas, neste caso, cada artigo têm um autor.

  • Pense nestas novas empresas de aviação que baixaram o preço das passagens automatizando processos. Mas, neste caso, o serviço é fazer livro.

  • Pense naquilo que é mais importante para uma editora: não é imprimir nem editar e sim escolher, fazer a curadoria.